Missões Indígenas

“EU MISSIONÁRIO:
COMPARTILHANDO A ESPERANÇA EM SUA PRÓPRIA LÍNGUA”

“Depois disso olhei, e diante de mim estava uma grande multidão que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, de pé, diante do trono e do Cordeiro, com vestes brancas e segurando palmas.
E clamavam em alta voz: ‘A salvação pertence ao nosso Deus, que se assenta no trono, e ao Cordeiro’”. Apocalipse 7:9,10

O universo indígena possui grandes desafios, muitas são as necessidades para desenvolver um trabalho missionário relevante entre esse grupo minoritário de nosso país, entretanto, a tradução das Escrituras na língua materna do público alvo é sem dúvida um dos maiores. Tornando-se então um objetivo a ser alcançado.


Hoje no Brasil existem cerca de 344 Etnias Indígenas, 250 reconhecidas oficialmente, 28 isoladas e 66 a pesquisar. Existem 111 etnias urbanizadas ou em processo de urbanização: Eles estão em busca de educação formal em português, proximidade a uma melhor assistência de saúde, acesso a produtos assimilados (roupas, alimentos, tecnologias, entretenimento e álcool), em busca de uma melhor subsistência.


Como já mencionamos, apenas 250 povos são reconhecidos oficialmente, sobre os quais temos informações. Desse total, quanto a evangelização, apenas 19 foram classificados como alcançados, 67 como menos alcançados (PMA) e 164 como não alcançados (PNA). É importante salientar que um povo, mesmo que conte com a presença de missionários, que possua ou não a Bíblia ou parte dela traduzida na língua nativa e que tenha certo número de convertidos, será classificado como povo não alcançado caso o número de convertidos seja inferior ou igual a 2% de evangélicos em relação a população total do grupo.


Dos 164 povos classificados como não alcançados (PNA), 65 são engajados, ou seja, existe alguma iniciativa missionária em andamento entre eles, e 99 são não engajados (PNE). É possível que dentre os 99 povos não engajados atuais (2018), alguns já tenham tido contado com o trabalho missionário no passado por algum tempo, e por algum motivo não houve continuidade. Também são considerados não engajados os grupos que contam apenas com algum tipo de assistência esporádica, não duradoura.

AS LÍNGUAS TRADICIONAIS E A TRADUÇÃO DA BÍBLIA
O ano de 2018 ganhou mais uma tradução completa da Bíblia para línguas indígenas no Brasil, na língua Apalaí. Agora há sete línguas que dispõem da Bíblia completa, sendo seis traduzidas no Brasil e uma traduzida no Suriname, mas também usada no Brasil, que é a Bíblia Tiryó. No Relatório Indígenas do Brasil em 2010 só haviam três Bíblias completas. Quanto ao número de Novos Testamentos traduzidos, há no momento 39, sendo 37 nacionais e 2 publicados em países vizinhos, mas que servem aos indígenas da mesma etnia no Brasil. Dos 37 nacionais, há 3 Novos Testamentos que são adaptações das traduções existentes em países vizinhos. Há projetos de tradução em andamento em várias línguas e nos próximos anos certamente teremos mais bíblias e Novos Testamentos concluídos. Quanto ao desafio, há 11 línguas com clara necessidade de tradução bíblica. Essas 11 línguas não contam com nenhum projeto de tradução no momento e carecem de iniciativas nessa área.


Fonte:
AMTB (Associação de Missões Transculturais Brasileiras)
CONPLEI (Conselho Nacional de Pastores e Líderes Evangélicos Indígenas)
Mais informações:
www.amtb.org.br
www.pesquisaamtb.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *